BLOG

Me aposentei e agora?



Para abraçar a idade madura, precisamos de visões positivas do que ela pode nos trazer. _ Robert Atchley

Nos últimos anos atingimos a expectativa de vida mais alta em toda a história da humanidade, de modo que os brasileiros nascidos a partir de 2010, tem expectativa de vida de 73,5 anos segundo o IBGE. Isto se deve aos avanços tecnológicos, científicos e comportamentais que ampliaram a saúde e produtividade na velhice.

O aumento da expectativa de vida, ampliou a possibilidade de realização na terceira idade, gerando a necessidade de que se encontre propósito e objetivos desafiadores para o período pós aposentadoria.

O primeiro passo neste período de ingresso na aposentadoria, é estruturar um plano de manutenção da saúde física, emocional e mental, o que garantirá a energia necessária para manter-se ativo, transformando esta etapa da vida em um período de plenitude e realizações.

Robert Atchley – professor de gerontologia, identificou 6 estágios pelos quais passam os aposentados. São eles:

  • Pré-Aposentadoria: Este é um momento em que o profissional pode experimentar angústia e ansiedade diante de uma nova fase, é também a etapa em que começa a fazer planos. Quando forçados a se aposentar, os profissionais tendem a enxergar esta fase como uma crise e portanto, tem maior dificuldade em se adaptar. Já para aqueles que planejam sua aposentadoria de forma voluntária, a enxergam como uma transição e tendem a lidar com ela com mais facilidade. Nesta etapa, é muito importante que se realize um planejamento financeiro, para adaptar-se as novas demandas e a mudança de salário e também que se defina com clareza quais são seus objetivos pessoais, para manter-se motivado, reduzindo a ansiedade;

  • Momento da Aposentadoria: Quando a aposentadoria efetivamente acontece, o profissional tende a sentir uma sensação de vazio, que é proporcional ao espaço que a carreira representava em sua vida e para preenche-lo tende a ocupar-se de múltiplas tarefas. Traçar objetivos para esta fase da vida, continua sendo algo fundamental, que deve somar-se a um bom planejamento das atividades, de modo a construir uma rotina satisfatória. Além disto, investir nos relacionamentos para evitar o isolamento será algo importante;

  • Encantamento ou Lua de Mel: O profissional passa a sentir-se mais relaxado, desfrutando mais da companhia de familiares e amigos e realizando atividades para as quais antes não tinha tempo. No entanto, o lazer não será suficiente para gerar a propósito e desafios e o sentimento de frustração acaba ganhando força. A família pode se tornar a única fonte de relacionamento, o cuidado consigo mesmo decair e a rotina tornar-se ociosa e caótica. Por este motivo, a manutenção dos relacionamentos saudáveis com a família, mas também fora do círculo familiar, o cuidado com a saúde e a manutenção de uma rotina estruturada são fundamentais nesta etapa;

  • Desencantamento: O profissional começa a fazer um balanço de sua vida e refletir sobre o envelhecimento e a mortalidade e sente a sensação de que não sabe o que fazer com o resto de sua vida, tendenciado ao desanimo, crenças negativas e depressão. Nesta etapa, é importante substituir a tendência de fazer balanços negativos por uma visão positiva das possibilidade e investir intensamente na qualidade dos relacionamentos que além de ocupar o tempo, oferecerão suporte a esta fase desafiadora e contribuirão com o senso de propósito;

  • Reorientação: Este é um momento em que o profissional tende a adaptar-se a nova realidade, e viver um momento de ajuste, quando incluirá em sua vida as coisas que sente falta e modificará o que percebe não estar funcionando. Este é o momento em que muitos se engajam em projetos sociais, abrem negócios próprios ou se tornam consultores. Também é uma fase em que investem mais na saúde física e mental e buscam solucionar problemas conjugais. Em contrapartida, muitos deixam de agir nesta etapa por terem medo de suas decisões afetarem seu casamento ou mesmo pela dificuldade de encontrar a sua identidade fora do trabalho e sentir-se perdido em relação a concepção de sua forma de ser e viver. A construção de um forte senso de identidade fora do ambiente profissional será fundamental para tornar esta fase produtiva.

  • Rotina: Este é um momento de satisfação, quando o aposentado sente-se realizado com a rotina que criou para si. Ainda assim, exige atenção aos objetivos e aos relacionamentos de modo que o excesso de autoconfiança não gere descuido.

Nem todos passam pelas seis fazem e as pessoas lidam com estas fases de modo diferente, ainda assim, a compreensão deste processo pelo qual os aposentados passam, nos ajuda na compreensão de caminhos assertivos para lidar com esta etapa da vida. Lembre-se, você pode contar com a ajuda de um Career Coaching para planejar a sua aposentadoria, tornando este um momento de grandes conquistas e realizações em sua vida


Tenha uma vida significativa!


Em amor,


#terceiraidade #aposentadoria #careercoaching #carreira #bemestar #qualidadedevida

0 visualização

 São Paulo - SP - Brasil

Atendimento Presencial e On-line

Siga nas redes sociais!

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Blogger - Círculo Branco

Todos os direitos reservados à Carla Rabetti