BLOG

Quando não conseguimos relaxar



(...)

Tempo tempo tempo tempo

Vou te fazer um pedido

Tempo tempo tempo tempo

- Maria Gadú


Sempre que me lembro do filme Alice no País das Maravilhas, me vem a memória o personagem do coelho andando apressado, afirmado Ser Muito Tarde! Aquele personagem, me parece um excelente exemplo da relação que a maioria de nós tem com o tempo... uma relação de pressa, uma sensação de atraso. Mas do que isto, ele ilustra a forma como muitos de nós temos vivido a nossas vidas, de forma aflita e ansiosa, procurando por algo, quem nem sabemos ao certo, com a cabeça ocupada por muitas preocupações.

O tempo deveria ser algo positivo, sinônimo de evolução, de avanço. Mas para a maioria de nós, ele é algo que nos parece ser roubado, trazendo uma sensação constante de atraso.

📷


Super vigilância e Inibição


Mas porque somos tomadas por este estado de ansiedade e preocupação? Porque estamos tão ansiosas e inquietas com as circunstâncias da vida?

Segundo o psicologo Young, criador da Terapia dos Esquemas, indivíduos criados em famílias severas e rígidas, na qual o autocontrole e a negação de si próprio predominam sobre a espontaneidade e prazer, tendem a favorecer um comportamento de supressão dos sentimentos e impulsos espontâneos, se esforçando para cumprir regras rígidas de desempenho, à custa da felicidade, auto-expressão, relaxamento, relacionamentos íntimos e boa saúde.

Isto porque, entram em um estado de super vigilância em relação a eventos negativos na vida e passam a considerá-la triste. Neste caso, a sensação de pessimismo e preocupação por terem temor de que suas vidas podem ruir a qualquer momento se não estiverem alerta, tendem a ser predominantes em suas vidas.

Young, agrupou os comportamentos relacionados a super vigilância e inibição a quatro vilões da mente. São eles:

  • Negativismo / Pessimismo: Foco generalizado e permanente nos aspectos negativos da vida como sofrimento, morte, perda, decepção, conflito e traição, enquanto minimizam aspectos positivos. Medos exagerados de cometer erros que possam ocasionar um colapso financeiro, uma perda, uma humilhação, uma situação ruim ou uma situação sem saída. Por este motivo, tendem a ter características de preocupação, apreensão, super vigilância, queixume e indecisão;

  • Inibição Emocional: Restringem' ações, sentimentos e comunicações espontâneas para evitar críticas e descontroles. Envolve inibição da raiva, inibição dos impulsos positivos (alegria, afeto, excitação sensual, lazer), dificuldade em expressar vulnerabilidade, ênfase na racionalidade, ao mesmo tempo em que desconsideram emoções;

  • Padrões inflexíveis / Postura Crítica Exagerada: Sensação de que se deve dispender um grande esforço para atingir elevados padrões internalizados com vista a evitar desaprovação ou vergonha. Resulta em sentimento de pressão constante e atitude crítica exagerada em relação a si mesmo e aos outros, causando prejuízo a saúde, autoestima, relacionamentos e experiências de prazer. Apresenta-se como perfeccionismo, regras rígidas morais, culturais e religiosas fora da realidade, preocupação com tempo e eficiência;

  • Postura Punitiva: Convicção da necessidade de punir os indivíduos pelos erros que cometem. Raiva e intolerância com as pessoas que não atingem os padrões almejados. Dificuldade em perdoar erros relutando em considerar a imperfeição humana ou levar em conta as intenções alheias.

O excesso de vigilância e busca por controle, tende a ser uma forma de hiper compensar a sensação de descontrole relacionada a situações vividas na infância e adolescência, ou em seu contexto de vida.

Não se tratando portanto, de picos de energia, pois isto pode ser um perfil da sua personalidade, mas sim, de uma cobrança excessiva de si e do outro por controle e perfeição.

Seja como for, se você tem se percebido neste estado super vigilante ou de inibição, o primeiro passo é tomar consciência de que este não é o modo mais saudável de viver e que não precisa ser tão pesado.

A dica é buscar atividades em que não existam compromisso com o resultado final, mas sejam puro prazer e diversão. Danças modernas, brincadeiras, show, teatros, arte e lazer de um modo geral...

Reserve em sua agenda tempo para relaxar, para estar numa roda de amigos, para ouvir sua canção favorita, para dançar, para comer sua comida preferida, ou talvez uma comida que nunca provou em um lugar diferente... faça algo novo, permita-se viver novidades, sentir prazer. Vá a festas, faça uma bagunça boa. Celebre a vida!

Encerro o papo com o link da canção Oração ao Tempo de Maria Gadu, que abriu o tema de hoje...





Construa uma vida autêntica!


Em amor,

0 visualização

 São Paulo - SP - Brasil

Atendimento Presencial e On-line

Siga nas redes sociais!

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • Blogger - Círculo Branco
  • SoundCloud - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco

Todos os direitos reservados à Carla Rabetti